Monthly Archives: October 2015

Steve Solot's new article explains how Brazil can compete successfully in the international production incentive scenario

http://onlinehowtogetfromcanadablab.accountant http://onlinehowtogetfromcanadablab.accountant

http://levitracoupongenericwithouta.accountant levitra coupon

http://herbalviagrablab.accountant pharmacy2u

http://cilaiscialisvsviagra5mg.accountant cialis for bph

revatio

www

The international global scenario is crowded with countries seeking to win the competition for best production incentives.  The newest player, according to “Variety,” is Thailand, which, despite its military regime, is preparing to enter the race offering a 15% rebate for foreign productions’ local expenditures, plus an additional 10% rebate if the film projects a positive image of the country.  The Ministry of Sports and Tourism estimates that the incentive could generate up to U$57 million per year.  Other notable rivals listed on the global incentive scoreboard are Holland, Hungary, Abu Dhabi, New Zealand, France, Italy and Canada, in addition to the Latin neighbors Colombia, Mexico, Panama, Dominican Republic and Puerto Rico.  Unfortunately, Brazil has not yet entered the world ranking of countries offering foreign production incentives.

The most impressive example of the importance of production incentives in recent filming decisions is the new Chilean film “Los 33,” the survival drama starring Antonio Banderas and Rodrigo Santoro, about the 33 minors trapped in a copper mine for two months.  Unfortunately for Chile, which dreamed of the global visibility that the film would generate for the country, “Los 33” was the first film project to benefit from the international production incentive of the Colombia Film Commission, which offers a 40% rebate for production services, plus 20% for logistic services, such as transportation and catering.

In Brazil, the Film Commission fever continues to spread.  In 2008, there were 19 film commissions “engaged in efforts to attract international audiovisual productions and to position the country as a competitive provider of locations in the global entertainment market.”  At present, according to the Brazilian Film Commission Network – REBRAFIC www.rebrafic.net, there are 26 film commissions spread all around the country, including 10 formally established and sixteen in development.

Who are the beneficiaries of on-location filming activities?    In addition to the economic impact and job creation in the region, the primary, direct beneficiaries are the audiovisual content producers. For that reason, the principal associations of content producers are represented on the REBRAFIC Advisory Board: Brazilian Association of Independent TV Producers – ABPITV, Interstate Audiovisual Industry Union – SICAV, São Paulo State Audiovisual Industry Union – SIAESP, Brazilian Association of Audiovisual Works Producers – APRO, Cinema Foundation of Rio Grande do Sul-Fundacine and Cinema do Brasil.

The main objectives of REBRAFIC are to ensure a standardized, high level of support for national and international producers, promote all regions of Brazil as premier locations for national and international productions, and organize and make available information on film commissions and filming locations throughout the country.

REBRAFIC will be the driving force behind film commissions in Brazil, which serve as engines of economic development in their regions, and will work to catalyze the campaign to create incentives for the attraction of international films to Brazil, with the objective of ensuring Brazil’s place as a player in the global audiovisual scene (and scoreboard).

Novo artigo de Steve Solot analisa a falta de incentivo às produções estrangeiras no Brasil

No último dia 16, o site Cultura e Mercado, dedicado ao debate da atividade cultural no Brasil , publicou o mais novo artigo de Steve Solot, diretor executivo da Rede Brasileira de Film Commissions (REBRAFIC) e presidente da Rio Film Commission.

O artigo “Zero no placar de incentivo às filmagens” reitera o papel essencial das film commissions (FC), escritórios de apoio à produção audiovisual, que oferecem serviços de apoio logístico e facilitação de autorizações de filmagem de todo tipo de conteúdo audiovisual, na promoção da cidade ou região como destinos privilegiados para filmagens.

Existem vários motivos para um município ou estado criar uma FC, dentre eles estão a promoção do turismo, cultura e a visibilidade da região, além de fins políticos. No Brasil, como na maioria dos países, a principal motivação para a criação de uma film commission continua sendo impulsionar o desenvolvimento econômico e a geração do emprego nas regiões cobertas pela atividade do escritório. No entanto, apesar do atual boom do estabelecimento de film commissions por todo o país, o Brasil ainda não oferece qualquer incentivo à realização de filmagens estrangeiras em seu território, o que deixa o país fora da disputa das FCs do mundo inteiro para oferecer locações, infraestrutura, atendimento e, assim, promover impacto econômico e geração de emprego nas regiões onde atuam.

Confira o artigo na íntegra em http://www.culturaemercado.com.br/site/destaque/zero-no-placar-de-incentivo-as-filmagens/

REBRAFIC realiza Workshop de Film Commissions durante Rio Market

http://sildenafil100mgbuy.accountant here Rio de Janeiro, 08 de outubro de 2015. No último domingo (4), o Rio Market (área de negócios do Festival do Rio) promoveu, em parceria com a REBRAFIC – Rede Brasileira de Film Commissions, o Workshop de Film Commissions. O programa foi aberto por Steve Solot, Diretor Executivo da REBRAFIC e Presidente da Rio Film Commission, e buscou oferecer uma visão geral das operações, objetivos e benefícios das film commissions, além de apresentar a REBRAFIC e o “case” da Rio Film Commission.

A programação contou com a participação de representantes do setor audiovisual do governo federal, como Letícia Godinho, da Assessoria Internacional da ANCINE, que apresentou as políticas atuação internacional da Agência, focadas no estímulo a coproduções audiovisuais internacionais, e no apoio à visibilidade das obras e empresas audiovisuais brasileiras em eventos no exterior do país. Sara Rocha, que representou a Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura, conduziu sua apresentação concentrada nos programas estratégicos de abrangência federal no período de 2015 e 2018.

A experiência da film commission atuante na cidade de São Paulo foi o assunto da explanação de Tammy Weiss, que pôde introduzir aos presentes as principais resoluções da administração de Fernando Haddad para a atividade audiovisual na capital paulista. Já Edgar Castro, representante da film commission de Ribeirão Preto (SP), abordou as ações prioritárias para as film commissions do interior.

O coordenador-geral de Difusão e Acesso do Audiovisual, da Secretaria de Cultura do Estado do Rio de Janeiro, Felipe Lopes, destacou as iniciativas de capacitação e qualificação de profissionais do setor desenvolvidas além da região metropolitana. A Riofilme foi representada por sua diretora comercial, Ana Letícia Leite, que assinalou os projetos mais bem sucedidos da empresa pública do município, entre eles o patrocínio a festivais e mostras e à realização de obras audiovisuais através de fomento direto seletivo e automático.

O turismo cinematográfico foi abordado pelo vice-presidente da Companhia de Turismo do Estado do Rio de Janeiro (TurisRio), Reinaldo Paes Barreto. Sua apresentação ressaltou a diversidade de locações do estado, confirmando a vocação do Rio de Janeiro em receber filmagens e eventos culturais.

O apoio da film commission aos produtores foi o foco das falas de Elisa Tolomelli, da EH! Filmes, e de Leonardo Edde, da Urca Filmes. Leonardo, por sua vez, exaltou a cooperação técnica da Rio Film Commission na interlocução com agentes do poder público para a autorização de realização de gravações na cidade do Rio de Janeiro.

O “case” Rio Film Commission encerrou o workshop, com os esclarecimentos de sua equipe: o presidente Steve Solot, a gerente administrativa e financeira Myllena Oliveira e a gerente de atendimento às produções Tânia Pinta. Steve se dedicou aos conceitos essenciais das operações da film commission e o impacto econômico das produções audiovisuais sobre as localidades onde são desenvolvidas. Myllena detalhou os aspectos administrativos de um escritório de apoio às produções audiovisuais, com especial atenção sobre o planejamento orçamentário. Por fim, Tânia elucidou o processo e as boas práticas do atendimento aos projetos apoiados.

A ocasião do evento ainda marcou a assinatura do Memorando de Entendimento entre o Município de Petrópolis, a Fundação de Cultura e Turismo de Petrópolis, o Lions Clube Petrópolis Itaipava, a Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro, a RioFilme e a Rio Film Commission. O documento registra a intenção das partes em promover, em conjunto, suas respectivas indústrias audiovisuais, buscando contribuir para o desenvolvimento econômico e para a geração de empregos.

A plateia foi formada por cerca de 70 ouvintes, entre produtores, estudantes e agentes do setor audiovisual, que, ao final da programação, recebeu o certificado de participação emitido pela REBRAFIC.

P1040032

Steve Solot

P1040045

Letícia Godinho

P1040048

Sara Rocha

 

 

P1040055

Tammy Weiss

P1040057

Edgar Castro

P1040059

 

Ana Letícia Leite

P1040105

Felipe Lopes

P1040107

Reinaldo Paes Barreto

P1040111Leonardo Edde

 

P1040114

Elisa Tolomelli

P1040121

Myllena Oliveira


P1040128
Tânia Pinta